Mário regressou aos golos e apontou o caminho da vitória

  • Golo solitário do avançado – o primeiro desta época – foi suficiente para que a Sanjoanense voltasse ao trilho das vitórias.
  • Três pontos difíceis mas muito importantes na luta pelos lugares cimeiros.

 Ferida pelas duas derrotas anteriores, a Sanjoanense deslocou-se a São João de Ver determinada em deixar para trás o mau momento e garantir os três pontos, que permitissem manter a luta pelos lugares de topo da classificação da Série D do Campeonato Nacional de Seniores.

Ainda com algumas baixas, com destaque para Pardal e João Pinto, em fase de recuperação das respectivas lesões, Pêpa decidiu mexer no onze e, para além de fazer regressar Diogo, cumprido o castigo depois da expulsão diante do Lusitano, devolveu a titularidade a Ruizinho e Stefan e estreou Mendes, defesa central proveniente do Bustelo que integra o plantel alvinegro desde há sensivelmente duas semanas.

Com a vitória como obrigatoriedade, os homens de São João da Madeira entraram confiantes, ainda que não querendo correr muitos riscos e, com uma primeira parte de claro domínio, apenas pecaram na altura de finalizar.

O futebol, esse, mostrou-se coeso, entrosado e seguro, com bom entendimento entre linhas e oportunidades que podiam ter conduzido à vantagem ainda durante os primeiros 45 minutos.

Depois de 10 minutos de maior respeito, os comandados de Pêpa começaram a soltar-se e, com o desenrolar do jogo, foi com naturalidade que foram assumindo o rumo dos acontecimentos, sempre com maior domínio, com base num futebol atrativo e de qualidade.

O São João de Ver, por seu lado, procurava anular como podia as investidas visitantes, mas revelava sempre muita dificuldade na fase de construção e praticamente não conseguia incomodar o setor defensivo da Sanjoanense.

Apostando numa nítida rigidez nas disputas de bola, na tentativa de travar a qualidade alvinegra, que se ia traduzindo em superioridade, a formação da casa passava por dificuldades e pior ficou quando, à passagem dos 35 minutos, Américo viu cartão vermelho direto por agressão ao estreante Mendes. Na sequência de um desacato entre ambos os jogadores, Valdemar Maia, árbitro da AF Braga, considerou que Américo agrediu o defesa alvinegro e deu ordem de expulsão ao médio da formação local.

Em desvantagem numérica, o São João de Ver via o cenário complicar-se mas procurou restruturar-se e, até ao descanso, nada iria mudar.

Com clara aposta no regresso às vitórias e na tentativa de aproveitar ao máximo a expulsão de Américo, Pêpa abdicou de Tiago e lançou Catarino para a segunda metade, concedendo maior profundidade à ala e dando ao extremo alguma responsabilidade defensiva, de forma a evitar eventuais surpresas.

E a Sanjoanense lá continuava a dominar e a criar oportunidades, mas a concretização não era a melhor. Prova disso foi o lance de Stefan que, à passagem dos 60 minutos, já na pequena área, atirou por cima da baliza à guarda de Rui Pedro.

Sem medo de arriscar – característica que já lhe é reconhecida –, Pêpa voltou a mexer no onze e, mantendo uma aposta na prata da casa, não hesitou em chamar a jogo Paulinho, um júnior de primeiro ano que tem… 16 anos! Apesar da tenra idade, o jovem demonstra grande potencial e entrou destemido para o lugar de Ruizinho, não acusando a pressão de ter que tentar mexer no meio-campo de uma equipa que procurava a vantagem.

Minutos depois, o treinador alvinegro lançava a ultima cartada e colocava em campo Vítor Silva, abdicando de Mendes. Estava a carne toda no assador para a última meia hora.

Ainda assim, não seria preciso esperar muito mais para que a formação de São João da Madeira se colocasse em vantagem. Sete minutos depois, uma fenomenal jogada de envolvimento do ataque alvinegro, praticamente feita a primeiro toque, terminou com um remate de Alex defendido em cima da linha de golo e uma recarga vitoriosa de Mário que, ao aproveitar uma enorme confusão na pequena área contrária, regressou aos golos e deu uma importante vantagem à Sanjoanense.

A vantagem no marcador, aliada à superioridade numérica, trouxe aos comandados de Pêpa a calma necessária para pausar o jogo e impor o ritmo que bem pretendiam, dominando e, mesmo assim, não descorando a procura de novo golo que, numa tarde de maior eficácia, teria certamente aparecido.

Antes do final da partida, nota apenas para a lesão de Ricardo Tavares, que teve que abandonar o relvado de maca. O defesa lesionou-se sozinho, não se sabendo ainda qual a extensão do problema.

Apesar das tentativas finais do São João de Ver, o resultado manteve-se inalterado e a Sanjoanense conquistou três pontos suados mas bastante importantes na luta pelos primeiros lugares.

No próximo domingo, a formação alvinegra desloca-se a Anadia, na jornada que marca o início da segunda volta da fase inicial do Campeonato Nacional de Seniores.

 

11 Inicial: Diogo, Tiago, João Edgar, Mendes e Ricardo Tavares; Letz, Gian e Ruizinho; Stefan, Alex e Mário.

Jogaram ainda: Catarino (Tiago), Paulinho (Ruizinho) e Vítor Silva (Mendes).

Um ponto de personalidade

Carvalhos 7 x Sanjoanense 7

5 Inicial: David Nogueira, Filipe Leal, Chico Barreira, João Oliveira(cap.) e Daniel Homem

Jogaram Ainda: Marco Lopes, Pedro Cerqueira, Afonso Santos e Alfredo Nogueira

Golos: Chico Barreira(4), Filipe Leal, Pedro Cerqueira e Daniel Homem

E à 6ªJornada, a Sanjoanense pontuou pela primeira vez. Num encontro do “campeonato” dos alvi-negros, a equipa de Vítor Pereira foi superior em toda a primeira parte e, embora com algum ascendente dos Carvalhos na 2ªParte, a recta final voltou a ser dominada pelos da capital do calçado que ficaram a 9 segundos de uma vitória muito saborosa, não fosse Chico Barreira ter falhado uma grande penalidade que dava a vitória.

Num Pavilhão sempre com boas assistências e um ambiente escaldante, a Sanjoanense entrou muito personalizada e a criar oportunidades, inaugurando o marcador, aos seis minutos, por Chico Barreira, numa boa iniciativa individual. No minuto seguinte, Tiago Pimenta, jogador que teve várias atitudes deploráveis para o público sanjoanense, empatou a 1-1.

Aos doze minutos, Filipe Leal, num livre, disferiu uma “bomba” que ainda bateu no ferro e colocou novamente a Sanjoanense na dianteira. Aos dezoito, João Oliveira vê rigoroso cartão azul mas, no livre-directo, David Nogueira brilhou perante José Almeida, outro elemento que também preferiu festejar com provocações aos adeptos da sanjoanense em vez de festejar com a sua massa associativa.

A jogar em powerplay, o Carvalhos acabaria por chegar ao golo, pelo mesmo José Almeida. Mas o encontro era de parada e resposta e, poucos segundos depois, o Carvalhos comete a sua décima falta e, na marcação do livre, Chico Barreira bate Mário Mata, fazendo o 2-3.

O último minuto da primeira parte foi recheado de acção, com um golo para cada lado, primeiro para André Matos e, depois, um golaço de Pedro Cerqueira, que começa a adquirir a sua melhor forma, levando a Sanjoanense em vantagem para o intervalo.

Na segunda parte, os visitados entraram melhor e empataram, aos três minutos, por José Almeida, na conversão de um livre-directo. No minuto seguinte, Bruno “Serôdio” desperdiçou uma grande penalidade. Aos onze minutos, João Oliveira desperdiça um livre-directo e, no minuto seguinte, o capitão alvi-negro viu o segundo cartão azul, mas já com Marco Lopes na baliza, José Almeida desperdiçou a oportunidade.

Aos treze minutos, o Carvalhos passou, pela primeira vez no jogo, para a frente do marcador, em novo livre-directo mas desta vez concretizado por José Almeida. Dois minutos depois, Pimenta fez o 6-4.

A Sanjoanense arriscou, foi para cima do adversário e, com uma personalidade enorme, empatou em três minutos, primeiro por Daniel Homem, que se estreou a marcar no campeonato com a camisola alvi-negra e, depois, por Chico Barreira, na conversão de um livre-directo após falta para cartão azul cometida por André Matos.

No mesmo minuto, os Carvalhos voltaram para a frente, novamente por Tiago Pimenta, mas Rui Vidal, numa falta infantil, recebeu cartão azul e permitiu a Chico Barreira fazer o 7-7 final que poderia ter sido uma vitória para a Sanjoanense, não fosse o homem-do-jogo, Chico Barreira, ter desperdiçado uma grande penalidade, a 9 segundos do fim, que dava a primeira vitória à Sanjoanense e seria muito merecida.

No próximo Sábado, pelas 15H, a Sanjoanense desloca-se ao Dragão Caixa para jogar com o FC Porto, no primeiro jogo de uma série de quatro contra os quatro primeiros classificados do campeonato da temporada anterior (Valongo, Benfica, FC Porto e Juv.Viana).

O primeiro ponto… mas que poderiam ter sido três. Não só pelo pénalti falhado a 9 segundos do fim, mas essencialmente porque a sua equipa foi superior grande parte do encontro, concorda?

Vítor Pereira: Podiam ter sido 3, tivemos quase tudo para os trazer esses pontos, trouxemos 1 e podíamos até não ter pontuado. Como eu disse antes do jogo este jogo era um jogo de tripla. Mais realmente o mais importante de salientar é que foi 1 ponto conquistado fora em casa de um adversário directo com uma excelente exibição. No meu entender uma primeira parte que dominamos, que deveríamos ter conquistado uma diferença maior de golos ao intervalo, uma segunda parte mais equilibrada com um período que os carvalhos passa para a frente do marcador e uma ADS a ter que jogar bem e com alma para inverter de novo o rumo dos acontecimentos. A haver um vencedor penso que deveria ser a Sanjoanense por tudo que se passou no ringue, pela força e alma que demostrou dentro e fora do ringue. Conquistamos um ponto fora e sinto que a equipa continua a crescer, vamos continuar a trabalhar pelo nosso objectivo.

A sua equipa inicia, agora, um série de 4 encontros frente a equipas de topo – FC Porto, Juv.Viana, Sl Benfica e Valongo pela ordem – como irá encarar estes jogos de máxima dificuldade?

V.P.: Vamos defrontar os 4 primeiros classificados da época passada, são jogos muito complicados, são jogos de uma competitividade muito grande, equipas muito competitivas, com jogadores de um nível europeu, mundial, jogos que todos nós gostamos de estar presentes com a responsabilidade do lado dos nossos adversários, não temos nada a perder. São jogos que trazem uma motivação extra a qual esperamos que sirva para nos superarmos e estarmos a um bom nível, aproveitando algum deslize de um desses adversários. Se nestes 4 jogos conquistarmos pontos é bom, eu acredito que o vamos fazer pois estamos a trabalhar muito, a procurar a nossa estrelinha da sorte e sei que isso vai dar os seus frutos. Como sempre vamos entrar com a mesma postura e objectivo nos jogos: Ganhar. O apoio dos nossos adeptos fora e principalmente em nossa casa poderão fazer a diferença, nós contamos com isso pois os nossos adeptos estão com a equipa e todos juntos temos consciência que pontos contra estas equipas poderão fazer a diferença no final.

A Sanjoanense acaba a jogar com um misto de juventude e experiência e, à semelhança do que tinha acontecido na Candelária, os jovens deram boa conta do recado e jogaram no limite para que o ponto fosse alcançado. Sente que tem uma equipa que, com o seu potencial trabalhado em jogadores como Alfredo Nogueira, Afonso Santos, Daniel Homem ou Pedro Cerqueira, poderá ser a estabilidade do clube no futuro, na I Divisão?

V.P.: Somos uma equipa, trabalhamos como equipa, jogamos como equipa e isso tem sido notório nos jogos. O nosso plantel pode não ser um plantel recheado de nomes de primeira divisão, mas é uma equipa equilibrada, jogadores com boas capacidades, alguns ainda em crescendo devido a sua juventude, um plantel de acordo com as possibilidades do clube e mais importante um plantel que se identifica com o “ADN”do clube. São jogadores diferentes que se completam de forma a sermos uma equipa, independentemente da idade joga quem trabalha, quem se encaixa na estratégia que delineamos, que se encaixa no decorrer do jogo e alterações achamos por bem fazer. Não temos de ter medo, é preciso apostar nos nossos jovens atletas, é essa a nossa intenção, mesmo que tivéssemos rios de dinheiro eu como treinador não deixaria de apostar nos nossos jovens. Claro que ter neste plantel alguns, muitos jovens de valor dá-me uma grande satisfação e motivação em relação ao futuro mas para mim eles já são o presente e têm demonstrado dentro do ringue.

Resultados Finais

Andebol | Resultados Finais

Seniores | Oleiros 24 – ADS 29

Iniciados | ADS 33 – Oleiros 34

Iniciados Femininas | AA Espinho 5 – ADS 42

Infantis | S. Bernardo 14 – ADS 21

Minis Fimininas | LAAC 13 – ADS 18

Basquetebol | Resultados Finias

Séniores |AD Sanjoanense 107 – Fides Gondobasket 56

Sub18 Masculinos | AD Sanjoanense 59 – Sangalhos  40

Illiabum Clube 42 – AD Sanjoanense 80

 

Sub16 Masculinos | AD Sanjoanense 63 – Sangalhos 58

Gafanha 57 – AD Sanjoanense 52

Sub16 Femininas:

AD Ovarense 42 – AD Sanjoanense 49

Sub14 A Masculinos | AD Sanjoanense, 79 – CP Esgueira, 41

Sub14 Femininas | AD Sanjoanense 57 – Illiabum Clube 65

Adescu Calvão 38 – AD Sanjoanense 77

Sub14 B Masculinos | AD Sanjoanense 44 – Clube Galitos 45

 

Futebol | Resultados Finais

Seniores | S. João de Ver 0 – ADS 1

Juvenis A | Taboeira 1 – ADS 2
Juvenis B | Carregosense 0 – ADS 10

Iniciados A | Feirense 0 – ADS 1
Iniciados B | ADS 1 – Paços de Brandão 1
Iniciados C | ADS 4 – Mosteirô 0

Infantis A | ADS 2 – Salesiano 2
Infantis A | ADS 5 – Cortegaça 3

Infantis B | Anta 0 – ADS 5
Infantis B | Tarei 0 – ADS 11

Benjamins A | ADS 7 – Avanca 0
Benjamins A | Salesiano 1 – ADS 4

Benjamins B | ADS 9 – Cucujães 0
Benjamins B | Alba 3 – ADS 3

Traquinas A | ADS 1 – Oliveirense 9
Traquinas A | Arrifanense 2 – ADS 10

Traquinas B | ADS – Avanca (interrompido devido ao mau tempo)
Traquinas B | Salesiano 0 – ADS 3

Petizes | Paços de Brandão – Pandas ADS A (interrompido devido ao mau tempo)
Petizes | Os Baixinhos A 0 – Pandas ADS B 8

Hóquei-Patins | Resultados Finais

Juvenis (SUB17) | CA Feira 4 – AD Sanjoanense 1

Iniciados (SUB15) | HA Cambra 2 – AD Sanjoanense 0

Infantis (SUB13) | HA Cambra 0 – AD Sanjoanense 4

Iniciados (SUB15) | AD Sanjoanense 2 – HC Mealhada 7

Infantis (SUB13) AD Sanjoanense 4 – HC Mealhada 1

Benjamins | AD Sanjoanense 1 – CA Feira 11

Escolares | AD Sanjoanense 0 – CA Feira 18

Xavi Puigbi e algo mais…

Sanjoanense 1 x Oliveirense 5

5 Inicial: David Nogueira, Filipe Leal, Chico Barreira, Daniel Homem e João Oliveira

Jogaram Ainda: Pedro Cerqueira, Alfredo Nogueira e Afonso Santos

Golo: João Oliveira

12 anos depois, um dos grandes derbys do hóquei em patins nacional regressou. Embora sem a pujança das últimas décadas, o Pavilhão dos Desportos apresentou uma boa casa com cerca de mil espectadores.

À partida para esta 5ªJornada, a Sanjoanense tentava somar os primeiros pontos perante uma Oliveirense recheada de grandes valores individuais e com um orçamento muito superior, que lhe permite lutar pelo título.

No entanto, esta diferença não se sentiu na primeira parte porque os visitados entraram muito concentrados e rubricaram a melhor exibição, até ao momento, no campeonato. Jogando em 2×2 com a entrada de Daniel Homem para o cinco inicial, em detrimento do castigado Tiago Ferraz, a Sanjoanense, sempre com cautelas, soube encarar o adversário “olhos nos olhos” e chegou à vantagem, nos primeiros minutos, pelo capitão João Oliveira.

O encontro decorria equilibrado e com bom ambiente nas bancadas, como é hábito no Pav.Desportos e a Oliveirense procurava chegar ao empate, concretizado por Tó Silva, que só teve que encostar para o fundo da baliza de David Nogueira, fazendo o 1-1, resultado que se manteve até ao intervalo.

Na segunda parte, a Sanjoanense manteve a concentração mas alguns erros da dupla de arbitragem de Aveiro, chefiada por António Santos, permitiram um desnivelamento do resultado.

Aos três minutos, Filipe Leal vê rigoroso cartão azul e, no respectivo livre-directo, David Nogueira brilhou perante Gonçalo Alves. A jogar em powerplay, a Oliveirense chegou à vantagem, no minuto seguinte, por Nelson Pereira.

Pouco depois, Chico Barreira sofre falta para cartão azul com a dupla de arbitragem a não admoestar o cartão, marcando apenas a falta. O sub-capitão alvi-negro foi, aliás, muito castigado com faltas, algumas delas dentro da área, nem sempre sancionadas e outras punidas com simulação.

Esta situação permitiu alterar um score de faltas que ao intervalo era de 6-8 para um 10-8, aos dez minutos, mas no livre-directo, David Nogueira voltou a negar os intentos da Oliveirense.

Contudo, quem tem jogadores do calibre de Gonçalo Alves tem um trunfo que é capaz de desequilibrar encontros a qualquer momento e assim foi, aos oito minutos, com um golo “de outro mundo” do internacional português.

A Sanjoanense não baixou os braços e criou inúmeras situações para marcar, mas Xavi Puigbi justificou o investimento e realizou uma exibição ao mais alto nível. Como “quem não marca, sofre”, Tó Silva, contra a corrente do jogo, colocou o marcador em 4-1, com muita sorte à mistura.

Aos treze minutos, João Oliveira desperdiçou um livre-directo e Martin Montivero, aos dezoito minutos, fechou a contagem em 1-5, um resultado exagerado e pesado para aquilo que os homens de Vítor Pereira produziram.

Este Sábado há um encontro muito importante na luta pela manutenção, frente-a-frente irão estar Carvalhos e Sanjoanense pelas 18h.

Agenda do Fim de Semana das Modalidades

Andebol | Agenda fim de semana

Seniores | Oleiros – ADS sábado 21h

Iniciados | ADS – Oleiros domingo 11h

Iniciados Femininas | AA Espinho – ADS domingo 16h

Infantis | S. Bernardo – ADS sábado 16h

Infantis Femininos | ADS – Vacariça sábado 15h

Minis | ADS A – Espinho domingo 15h
Minis | ADS B – Oleiros domingo 9h30

Minis Fimininas | LAAC – ADS domingo 15h

Futebol | Agenda Fim de Semana

Seniores | S. João de Ver – ADS domingo 15h

Juvenis A | Taboeira – ADS domingo 11h
Juvenis B | Carregosense – ADS sábado 14h30

Iniciados A | Feirense – ADS domingo 11h
Iniciados B | ADS – Paços de Brandão domingo 11h
Iniciados C | ADS – Mosteirô domingo 9h

Jogos de sábado

Infantis A | ADS – Salesiano 9h
Infantis A | ADS – Cortegaça 9h

Infantis B | Anta – ADS 9h
Infantis B | Tarei – ADS 10h15

Benjamins A | ADS – Avanca 10h15
Benjamins A | Salesiano – ADS 14h15

Benjamins B | ADS – Cucujães 15h
Benjamins B | Alba – ADS 11h30

Traquinas A | ADS – Oliveirense 11h30
Traquinas A | Arrifanense – ADS 11h30

Traquinas B | ADS – Avanca 11h45
Traquinas B | Salesiano – ADS 15h30

Petizes | Paços de Brandão – Pandas ADS A 11h30
Petizes | Os Baixinhos A – Pandas ADS B 11h30

Hóquei-Patins | Agenda do fim de semana

Seniores | Carvalhos – ADS sábado 18h

Seniores Femininas | Benfica – ADS sábado 15h Final Supertaça

Juvenis | CA Feira – ADS sábado 15h

Iniciados | HA Cambra – ADS sábado 11h
Iniciados | ADS – HC Mealhada domingo 11h

Infantis | HA Cambra – ADS sábado 10h
Infantis | ADS – HC Mealhada domingo 16h

Benjamins | ADS – CA Feira domingo 10h

Escolares | ADS – CA Feira domingo 15h

Erros foram pagos em demasia

  • No jogo grande da jornada, a Sanjoanense não conseguiu superiorizar-se ao Cesarense.
  • Primeira meia hora com erros defensivos foi crucial para o desfecho negativo.

Depois da derrota em Viseu, frente ao Lusitano, a Sanjoanense recebeu o Cesarense que, à partida para o jogo, levava um ponto de avanço sobre a formação de São João da Madeira.

Com um embate de grande interesse em prespetiva, os alvinegros não conseguiram entrar bem no encontro e os comandados de Martelinho, por seu lado, não podiam imaginar melhor início.

Com apenas 5 minutos decorridos, e no primeiro lance de algum perigo junto das balizas, Oliveira deu a melhor sequência a uma investida pelo lado direito do ataque e, aproveitando a apatia da defesa alvinegra, antecipou-se a Tiago para, de cabeça, colocar a formação de Cesar em vantagem.

Motivados pelo golo, os visitantes jogavam de forma tranquila e obrigavam a Sanjoanense a correr atrás do prejuízo, numa altura em que a equipa da casa tentava crescer na procura do golo que permitisse o empate e relançasse a partida.

No entanto, foi preciso esperar até aos 15 minutos para que se verificasse uma reação, ainda que tímida, dos comandados de Pêpa, com Mário a visar a baliza mas a rematar ligeiramente por cima.

Ainda assim, a Sanjoanense parecia melhor e, à passagem do minuto 24, Alex teve nos pés o empate, naquela que foi a oportunidade de ouro para os comandados de Pêpa. Catarino colocou a bola em Mário e o avançado, com um excelente passe de peito, assiste Alex, mas o extremo, na cara de Janita, permite a defesa ao antigo guarda-redes sanjoanense.

Mas o balde de água fria surgiu logo depois. Já diz o velho ditado que «quem não marca, sofre» e o Cesarense fez questão de o colocar em prática. Na sequência da perdida de Alex, a formação de Cesar saiu em contra-ataque rápido e, aproveitando a descompensação defensiva dos homens de São João da Madeira, balanceados no ataque, Bruno Silva assistiu Mauro, que aumentou a vantagem.

Um rude golpe nas aspirações da Sanjoanense que, antes do intervalo, podia ainda ter reduzido a desvantagem mas Alex, pressionado, não conseguiu o desvio vitorioso, após cruzamento tenso de Tiago.

Os dois golos de desvantagem ao intervalo tornavam a missão sanjoanense bastante difícil mas nem por isso os comandados de Pêpa baixaram os braços e viraram a cara à luta. Pelo contrário, regressaram determinados e com vontade de inverter o complicado resultado e as oportunidades de golo sucederam-se durante os segundos 45 minutos mas, em quase todas elas, a eficácia surgia uns furos abaixo do esperado.

Ainda assim, há que destacar a atitude de luta e garra de uma equipa jovem que viu o golo constantemente negado por cortes de última hora, defesas atentas e até pelos postes, quando Muxa, à passagem do minuto 75, acertou na trave com um potente remate.

Foi claramente uma tarde «não» para a Sanjoanense, que viu Mauro voltar a marcar, ao minuto 78, na sequência de nova investida rápida pela direita do ataque visitante. Com Justo pela frente, depois de boa arrancada, o extremo desviou subtilmente a bola, colocando o marcador em 0-3.

Apesar do golo e dos naturais festejos, nota negativa para a atitude provocatória do jogador, que decidiu ajoelhar-se perante o banco sanjoanense, com festejos efusivos – festejos, esses, que podia realizar, obviamente, mas com um pouco mais de bom senso na escolha do local.

A Sanjoanense conseguiria ainda o golo de honra, ao minuto 83, na sequência de uma grande penalidade convertida por Stefan e que ditou a expulsão, por acumulação de amarelos, de Tiago, capitão cesarense.

Até final, nota apenas para uma outra expulsão. Muxa, já amarelado, derrubou um adversário e, por isso, falha o próximo jogo, em São João de Ver, partida que fecha a primeira volta desta fase inicial do Campeonato Nacional de Seniores.

 

11 Inicial: Justo, Tiago, Edgar, João Couto e Ricardo Tavares; Letz, Gian e Muxa; Alex, Catarino e Mário.

Jogaram ainda: Ruizinho (Edgar), Catarino (Stefan) e Vítor Silva (João Couto).

 

Declarações de Pêpa:

É justo dizer que a primeira meia – hora ditou o destino do jogo?

Infelizmente sim, mas por culpa nossa. Mesmo com dois golos sofridos em dois remates do adversário, em contra-ataques, tivemos volume ofensivo para discutir o resultado de outra forma.

O jogo não correu de feição à Sanjoanense mas a equipa nunca baixou os braços e teve muitas oportunidades de golo, especialmente na segunda parte. Sente que, com um pouco mais de sorte, a Sanjoanense podia ter saído deste jogo com um resultado positivo?

Sorte não, eficácia e objectividade na hora de decidir. A sorte é algo que dá muito trabalho a alcançar, algo que acontece e nós não queremos estar dependentes da sorte. Foi um resultado ingrato e frustrante, mas ganha quem marca mais e não quem joga melhor ou tem mais cantos e remates. Mas de uma coisa tenho a certeza, estamos mais próximos de ganhar quando jogamos bem.

Esta é a segunda derrota consecutiva e a equipa vai certamente querer dar a melhor resposta já na próxima semana, em São João de Ver. Ainda assim, teme que este resultado possa afetar animicamente o plantel?

Não pode nem vai afectar ninguém. Cometemos erros próprios de uma equipa jovem, de uma equipa com poucos minutos de nacionais, mas a realidade é que quase todos os adversários reconhecem que somos a melhor equipa a jogar futebol, mas com erros pontuais que por vezes fazem a diferença. Sei que estamos juntos no mesmo objectivo e que a resposta será dada no sítio certo: nos treinos e nos jogos.

Quais são as primeiras impressões quanto ao São João de Ver, próximo adversário?

É um adversário que perdeu algumas referências da época passada mas que conseguiu manter os mais experientes. Uma equipa que foi a melhor defesa, com apenas dois golos sofridos, até há duas jornadas. Vamos com o mesmo objectivo de sempre: jogar bem e ganhar.