Comunicado: Correção de informação veiculada acerca de Ahmed Jizani

A Associação Desportiva Sanjoanense vem, por este meio, corrigir uma informação veiculada durante os últimos dias em diferentes órgãos de comunicação social, relativa a um suposto grau de parentesco entre Ahmed Jizani e o Rei da Arábia Saudita.

Assim, a pedido do interveniente, convém informar que Ahmed Jizani é apenas amigo de um dos filhos do novo Rei saudita, não apresentando qualquer relação familiar com o monarca.

São João da Madeira, 25 de janeiro de 2015.

2ª Fase do Campeonato Nacional de Iniciados Sorteada

 

O auditório Manuel Quaresma da sede da Federação Portuguesa de Futebol acolheu esta sexta-feira o calendário de jogos da segunda fase do Campeonato Nacional de Juniores C/Iniciados.

Jornada 1 | 1-2-2015 |Entroncamento – ADS

Jornada 2 | 8-2-2015 | ADS – Anadia

Jornada 3 | 14-2-2015 | U.Leiria – ADS

Jornada 4 | 17-2-2015 | Sporting – ADS

Jornada 5 | 22-2-2015 | ADS – Académica Coimbra

Saudita Ahmed Jizani é reforço

A Associação Desportiva Sanjoanense anunciou esta sexta-feira a contratação de Ahmed Jizani, jogador que atuava na formação do Al-Nassr, da Arábia Saudita.

Jeeza, como é conhecido, fez-se acompanhar por um amigo e também tradutor árabe-inglês e define-se como um atleta que gosta de atuar no ataque, preferencialmente pelas alas.

“Sou um avançado que trabalha muito para a equipa, e que gosta de oferecer golos aos companheiros”, explicou o reforço.

Tratando-se da sua primeira experiência fora do seu país natal, Jeeza sente-se preparado e confiante para esta nova etapa, sublinhando que conhece um pouco do futebol europeu e da sua ideologia. No que toca às expectativas ainda para a presente temporada, o avançado espera “progredir bastante no clube” e ultrapassar desafios que passam, numa primeira fase, pela barreira linguística.

Numa curta mensagem para os adeptos sanjoanenses, Jeeza prometeu empenho, muito trabalho e dedicação em prol da equipa.

O atleta vai juntar-se aos trabalhos do plantel sénior na próxima semana.

 

Pedro Fernandes; Diogo Pardal

Gian regressa à Sanjoanense

O Departamento de Futebol da Associação Desportiva Sanjoanense informa que Gian está de regresso ao clube, tendo integrado o treino desta quinta-feira.

Falhado o acordo com o Vitória de Guimarães, clube em que prestou provas nos últimos dias, o médio volta às contas de Pêpa, que aumenta, assim, o leque de opções no plantel sénior.

 

São João da Madeira, 23 de janeiro de 2015.

Zé Mário reforça Sanjoanense

Zé Mário é reforço da Sanjoanense, onde atuará até final da presente temporada.

O volátil jogador, que em 2002 trocou a Sanjoanense pelo Sporting, regressa a uma casa que bem conhece, depois de passagens por Naval, Tocha, Cesarense e Feirense.

Aos 25 anos, Zé Mário dá um novo passo na carreira e vai estar às ordens de Pêpa a partir da próxima semana.

Iniciados da Sanjoanense garantem apuramento para fase final

Goleada afastou fantasmas caseiros e confirmou apuramento dos Iniciados da Sanjoanense

Vitória sobre o Gondomar, por 6-1, na última jornada da Série C, confirmou o regresso da Sanjoanense à segunda fase do Nacional de iniciados, duas épocas depois da última presença.

Dois anos após a última aparição na fase final do Campeonato Nacional de iniciados, a Sanjoanense está de volta à luta por uma vaga na final 4 da competição. Tiago Moreira foi o cérebro por trás da equipa, ainda que “tenha chegado ao clube em cima da hora”. “Não estava a contar sair de onde saí, nem conhecia o clube ou os jogadores, mas ainda bem que tudo isto aconteceu”, completa o treinador, que viveu, no final do jogo com o Gondomar, que confirmou a qualificação, um dia para mais tarde recordar.

“Já tive experiências incríveis, como foi a do FC Porto, mas esta vou guardar e levar comigo para sempre, devido ao apoio e à exibição da equipa, pois era um jogo que tínhamos que ganhar, frente a um adversário muito difícil. Até eu fiquei surpreendido com o último jogo, porque representa tudo o que procuramos durante toda a primeira fase”, refere o técnico, que explica que a meta inicial para a presente temporada era a manutenção nas provas nacionais, “mas, à terceira jornada, lançamos um objetivo mais ambicioso e acabamos por consegui-lo”.

Uma das principais particularidades da campanha alvinegra foi a dificuldade em vencer em casa, tendo-o conseguido, apenas, em quatro ocasiões. No final da primeira volta, a Sanjoanense não tinha somado qualquer vitória perante o seu público, algo que Tiago Moreira explica com “a pressão por parte do público, principalmente pela forma como queríamos jogar” e com o facto de “os adversários terem começado a fechar-se cada vez mais e isso tornou as coisas mais difíceis”. Fora de portas, a história foi outra. Sete vitórias em nove jogos, algo possível porque, “na sua casa, os adversários soltam-se e expõem-se mais, e nós tiramos dividendos disso”, explica o técnico da ADS.

Segue-se uma fase que se antevê complicada. A Sanjoanense foi colocada na zona centro, juntamente com Anadia, Académica, U. Leiria, CADE e Sporting. Para Tiago Moreira, a sua equipa deve “desfrutar de cada jogo” e encarar os desafios que se seguem “sem qualquer tipo de pressão”, isto sem nunca deixar de piscar o olho à melhor classificação possível.

RAFA CARDOSO, O GOLEADOR QUE SE INSPIRA NOS BOLAS DE OURO

O apuramento para a segunda fase do Nacional de iniciados foi carimbado com uma goleada caseira ao Gondomar, por 6-1. Cinco dos golos alvinegros foram apontados por Rafa Cardoso, a principal figura da Sanjoanense na Série C. O atacante foi o melhor marcador da equipa, algo que considerou “especial”. Rafa, que já passou pela formação do FC Porto, não esquece a ajuda da “equipa e do treinador”, numa época em que o jovem perspetivava “ajudar a equipa, mas não pensava marcar tantos golos”. O grande sonho de Rafa Cardoso é tornar-se profissional de futebol e, se possível, jogar com a camisola do Benfica e da seleção nacional. Como grandes referências, o avançado aponta os bolas de ouro Cristiano Ronaldo e Luís Figo, bem como o ‘Ciclone dos Açores’, Pauleta.

Fonte: Jornal Único

Texto: Catarina Silva & Rui Almeida Santos

Fotografia – Sérgio Santos 

 

Nulo a fechar a primeira fase

  • Vitória valia, em termos práticos, um ponto para a próxima fase, mas Sanjoanense não conseguiu desfazer o nulo.
  • Estado do relvado não permitiu bom futebol.
  • Muxa e Mário regressaram, cinco jogos depois dos incidentes registados contra o Camacha.

Em jogo da última jornada da primeira fase do Campeonato Nacional de Seniores, a Sanjoanense não foi além de um nulo diante do São João de Ver, num jogo em que só a vitória podia trazer algo mais para a disputa da fase de manutenção, altura em que os pontos conquistados na fase inicial são cortados a metade.

Ora, em termos práticos, e ainda que sem qualquer aspiração quanto ao acesso à fase de promoção, o triunfo permitia que a Sanjoanense iniciasse a segunda metade da competição com 13 pontos, ao invés dos 12 com que começará, resultantes dos 24 pontos conquistados até ao momento.

Num jogo em que se esperava alguma superioridade da formação alvinegra, que já pôde contar com Mário e Muxa, suspensos desde os incidentes registados no final do jogo com o Camacha, a 07 de dezembro, o São João de Ver foi quem primeiro ameaçou, quando Ministro, com um remate de ressaca à entrada da área, atirou ligeiramente ao lado da baliza à guarda de Diogo.

Com um relvado condicionado pela chuva constante, a Sanjoanense sentia dificuldade em impor o seu jogo e em criar perigo através do futebol de posse e circulação mas, ainda antes do descanso, dispôs de duas boas oportunidades para inaugurar o marcador. Ao minuto 38, Catarino, a cruzamento de Muxa, cabeceou para defesa atenta de Rui Pedro e, poucos minutos depois, Vítor Silva, após assistência de Mário, rematou forte, mas por cima, não conseguindo desfazer o empate, que prevalecia ao intervalo.

Para a segunda metade, Pêpa lançou o jovem Teles para o lugar de Pardal e a Sanjoanense regressou em força, determinada a garantir os três pontos. Mário não demorou a visar a baliza contrária e, ainda nos primeiros instantes, rematou cruzado, já dentro da área, para excelente intervenção de Rui Pedro.

Obrigada a recorrer por diversas vezes à falta para travar os jogadores alvinegros, a formação de São João de Ver tudo tentava para suster as investidas contrárias mas, aos 53 minutos, ficou com a tarefa dificultada. Seminha, que já tinha sido admoestado com cartão amarelo, cortou um contra-ataque alvinegro com a mão e acabou por ser expulso por acumulação de amarelos, deixando os visitantes reduzidos a dez elementos.

Ainda assim, a Sanjoanense mostrava alguma ansiedade e continuava a não conseguir criar oportunidades de registo, embora se tenha instalado, com naturalidade, no meio-campo do adversário, que só a espaços conseguia sair em transições rápidas.

Ao minuto 81, os alvinegros voltaram a estar perto da vantagem mas Edgar, a canto de Muxa, cabeceou ligeiramente por cima.

A fazer o pressing final, a Sanjoanense ganhou novo ânimo a cerca de 5 minutos do final, quando Ministro, depois de parar Ruizinho, viu segundo cartão amarelo, deixando o São João de Ver em grandes dificuldades para os últimos minutos.

Em clara vantagem numérica, os comandados de Pêpa encostaram por completo a equipa visitante ao seu reduto defensivo e voltaram a estar muito perto do golo. Ruizinho, aos 90+3’, obrigou Rui Pedro a uma fantástica defesa, na sequência de um livre direto e, no seguimento do canto que daí resultou, Muxa, sozinho ao segundo poste, cabeceou poucos centímetros acima da barra.

A partida terminou logo de seguida, com um nulo penalizador para o trabalho da formação de São João da Madeira, que voltou a não conseguir materializar a superioridade demonstrada.

Seguem-se, agora, quatro semanas de paragem, estando o regresso marcado para 15 de fevereiro, dia em que tem início a segunda fase do Campeonato Nacional de Seniores.

 

Declarações de Pêpa:

Pêpa, a Sanjoanense foi superior mas voltou a não conseguir garantir uma vitória que, em termos práticos, representava um ponto para a próxima fase. Sente que faltou alguma acutilância ofensiva para que a equipa chegasse ao golo?

Pelo início da pergunta, sim. Só nos interessava a vitória porque nos dava um ponto para a segunda fase, enquanto o empate não nos dá nada. E, como sempre disse, por um ponto se sobe, por um ponto se desce… Um ponto é um ponto, tudo conta. Já vi equipas serem campeãs por um golo, quanto mais por um ponto…

Em relação ao jogo, fomos precipitados e algo nervosos. Acredito e admito – embora saiba que isto serve para as duas equipas – que o campo não nos ajudou em nada, uma vez que a nossa equipa gosta de ter a bola e hoje [domingo] ela saltava e não conseguíamos mantê-la. Mas isso não pode servir de desculpa para o pouco critério que tivemos no último terço. E foi muito por aí… Tivemos pouco critério nas decisões, fomos pouco agressivos no último terço, decidimos mal e, na minha opinião, essa foi a chave para que não tivéssemos conseguido criar mais oportunidades de golo e para que não tenhamos conseguido marcar.

Com a competitividade que é reconhecida ao Campeonato Nacional de Seniores e, neste caso, à Serie D, na qual se inclui a Sanjoanense, o que é que se pode esperar para a segunda fase da prova, que se adivinha muito dura?   

Vai ser uma grande luta, uma guerra enorme. Não sei se é o momento ideal para apelar ao que quer que seja, porque ainda estamos longe, mas vamos precisar de muito apoio, muita ajuda porque, se até aqui tivemos uma luta tremenda – e os resultados falam por si –, na segunda fase vamos ter uma guerra titânica… Vai ser terrível.

Mas não tenho dúvidas de que vamos estar preparados para isso e reconheço, também, que esta paragem vai ser benéfica porque é urgente acertarmos algumas posições do plantel, não só em termos de opções para o onze, mas também no que diz respeito às opções para o banco e ao número de jogadores para treino. É uma situação por que estamos a passar há algum tempo e que tem que ser resolvida. Queremos também recuperar quem podemos recuperar. Não temos hipótese quanto ao Ricardo Tavares, mas o João Pinto está cada vez melhor. E há ainda a questão dos castigos, que não depende de nós. O Letz levou dois jogos, o Alex cumpriu agora o jogo de castigo e, quanto ao Mário e ao Muxa, veremos o que surge. Hoje podiam jogar, no futuro depende da decisão tomada.

Mas temos que estar preparados, ajustar em termos de entradas no plantel, dar as mãos, unir esforços e trabalhar muito para o que aí vem.

O Mário e Muxa regressaram depois da suspensão pelos incidentes contra o Camacha. Caso a decisão seja favorável, são dois “reforços” bastante importantes nesta fase da época…

Sim, todos são importantes. E as presenças do Mário e o Muxa no onze estão relacionadas com o facto de, ao longo de todo o período de suspensão, terem sido excecionais ao nível do treino. Tanto que, se houvesse alguma coisa a apontar, isso seria resolvido internamente e nem sequer seriam opções. Isto porque, por vezes, há a tendência de estar castigado e relaxar e um castigo desta dimensão podia levar a facilitismos enormes, o que não aconteceu.

Quanto ao jogo, ambos tentaram ajudar a equipa, como todos, mas, como disse há pouco, o que me saltou à vista foi o nervosismo e a precipitação da equipa, o que não nos ajuda em nada.

Para além das questões abordadas há pouco (n.d.r.: ajustes no plantel e recuperação dos jogadores lesionados), quais são os principais objetivos para as semanas de paragem de campeonato que se seguem?

O principal objetivo para a próxima semana é ajustar, o quanto antes, o número de jogadores no plantel, com algumas entradas.

Para a segunda semana pretendemos ter o grupo fechado para que possamos começar a trabalhar e a rever processos de treino, processo e modelo de jogo, com organização ofensiva e defensiva, transições e tudo o resto, uma vez que, com a entrada de novos jogadores, temos que “ensinar” a nossa forma de jogar e trabalhar.

Na terceira semana queremos continuar o processo evolutivo do nosso modelo de jogo e entramos, depois, na quarta semana, a de início da segunda fase, altura em que vamos estar preparados para o que aí vem: uma guerra enorme.

[sls id=”7″]

Resultados Fim de Semana

Futebol | Resultados Finais

Seniores | ADS 0 – S. João de Ver 0

Juniores | ADS 6 – Repesenses 0

Juvenis A | ADS 4 – Oliveirense 1
Juvenis B | Tarei 1 – ADS 3

Iniciados B | U. Lamas 0 – ADS 3
Iniciados C | ADS 7 – Caldas 2

Infantis A | Mosteirô 1 – ADS 9

Infantis B | Carregosense 0 – ADS 16
Infantis B | ADS 4 – Anta 1

Benjamins A | ADS 11 – Ovarense 0
Benjamins A | Feirense 20 – ADS 0

Benjamins B | ADS 11 – Furadouro 0
Benjamins B | Cucujães 3 – ADS 2

Traquinas A | ADS 2 – Estarreja 0
Traquinas A | Oliveirense 3 – ADS 4

Traquinas B | ADS 6 – Valega 0
Traquinas B | Arrifanense 4 – ADS 1

Perizes A | ADS B 4 – Oliveirense 6