Entrevista a Tiago Moutinho

O treinador da Sanjoanense, Tiago Moutinho, sente-se orgulhoso da época que terminou. Considera que a sua equipa passou a ser mais “respeitada, mas também mais temida pelos adversários”. E isso deveu-se ao facto de terem superado os objetivos.

Que balanço faz da época?

Um balanço muito positivo. Conseguimos valorizar o clube e os jogadores. Criamos um estilo de jogo e uma mentalidade vencedora em que os adeptos se identificaram. Somos, neste momento, uma equipa mais respeitada, mas também mais temida pelos adversários. Se no início da época o objetivo principal era a manutenção na Liga 3, ao longo da temporada fomos alimentando a esperança de entrar na fase de subida. Infelizmente não o conseguimos no último jogo. Na fase de manutenção fomos extremamente competentes e sérios, terminando no primeiro lugar. Creio que temos de estar todos orgulhosos e contentes da época que realizámos.

Está num clube histórico. Como se sentiu nestes primeiros meses da Sanjoanense?

Muito bem. Não conhecia bem a realidade da Sanjoanense nem a cidade de São João da Madeira. As pessoas são excelentes, seres humanos do melhor. Desde cedo percebi a grandeza deste clube e toda a sua história, não só no futebol como nas outras modalidades. E os adeptos e simpatizantes receberam-me muito bem e sempre nos apoiaram ao longo deste trajeto. Depois no dia-a-dia, toda a gente que faz parte do Clube, têm sido fantásticas. Fui muito bem recebido por toda a gente. Somos uma família.

Renovou ao fim de pouco tempo. Sentiu-se bem desde que chegou?

Houve desde o início uma sintonia perfeita entre todos. A adaptação foi fácil, as novas ideias e metodologia de trabalho entendidas e aceites por todos. Queríamos rapidamente mudar a situação menos positiva em que o clube estava. A equipa técnica foi extraordinária e muito competente na forma como me recebeu. Os rapazes perceberam e compreenderam rapidamente o que pretendíamos e trabalharam muito por isso. O trabalho e os resultados começaram a surgir e, confesso, que foi com alguma surpresa a renovação ao fim de pouco tempo. Mas também foi um reconhecimento e uma clara aposta no futuro e na continuidade do nosso trabalho.  

Esperava com a sua chegada uma resposta tão boa do plantel?

A prioridade era vencer o primeiro jogo com o Vitória B. O grupo precisava de confiança e de vitórias. Desde o primeiro dia procuramos que eles fossem mais confiantes, nas suas capacidades e qualidades, mas também nas qualidades dos seus colegas. O grupo teria de estar unido e a perseguir os mesmos objetivos coletivos! Tínhamos de valorizar mais a posse da bola, assumir o jogo e querer e demonstrar que queríamos vencer. Tínhamos de ter outra relação dentro e fora do campo. Trabalhar as competências sociais! Os rapazes foram fantásticos porque perceberam, assimilaram as novas ideias de uma forma rápida e consistente. Desde o primeiro treino que o empenhamento e dedicação foram inexcedíveis. A crença e a aceitação do processo foram rápidas e a resposta, dentro de campo, também!

Que avaliação faz da Liga 3?

Uma liga extremamente competitiva. Há um equilíbrio muito grande entre todas as equipas, como ficou demonstrada pela classificação final da fase regular e da fase de manutenção. Principalmente na séria A onde nos encontrávamos. Excelentes jogadores e equipas técnicas com muita qualidade ajudaram que a Liga 3 fosse uma Liga muito competitiva e com jogos muito bem disputados. Parabéns à FPF e ao canal 11 que ajudaram e ajudam a divulgar esta Liga e todos os seus intervenientes.

Ficou um amargo de boca pelo facto de a Sanjoanense ter estado tão perto de lutar pela subida?

Sem dúvida. Fomos ao longo da época alimentando o sonho e a possibilidade de chegarmos à fase de subida e na última jornada, quando dependíamos apenas de nós, não conseguirmos foi frustrante. Foi uma azia enorme!  Teria sido justo e merecido pelo que tínhamos feito até aquele dia. Mas as derrotas e os maus momentos têm de servir como aprendizagem.

O bom futebol praticado foi uma das vitórias da época?

Foi. Temos de ganhar e jogar bem. Se jogarmos bem estamos mais perto de vencer. Poderíamos estar aqui a debater o que é jogar bem! Mas penso que praticámos um bom futebol. É unanime que a Sanjoanense jogava bem. Mas isso é todo o mérito dos rapazes. Eles têm muita qualidade. Foram inteligentes, perspicazes e criativos. Foram profissionais. E ao longo da época fomos conseguindo muitas vitórias, marcámos muitos golos e fomos criando muitas ocasiões de golo. Acho que todos nós nos divertimos muito! A mentalidade vencedora estava sempre lá. Não entendo de outra forma. Todos os jogos são para lutar pela vitória. Quem não entende, não percebe o que é a Sanjoanense.

Equipa técnica da Sanjoanense

O estádio com a Oliveirense e Canelas, esteve praticamente cheio, sentiu que os Sanjoanenses estavam com a equipa?

O estádio estava lindo! Foi brutal ver o estádio assim. Uma das coisas que mais me deixou triste este ano, para além de não vencer os jogos, foi no final ver a tristeza e o desanimo dos adeptos no final do jogo. Todos queríamos ter dado essa alegria aos nossos sócios e simpatizantes. Fomos sentindo que os adeptos tem estado connosco e gostam daquilo que fazemos. Estamos em sintonia e acreditamos todos, em conjunto, que este é o caminho para a Sanjoanense vencer.

Na fase de manutenção a Sanjoanense ficou no 1º lugar, com o melhor ataque e melhor defesa, era esse o objectivo?

Olhando para a fase regular e de manutenção, tivemos uma média muito próxima de dois golos marcados por jogo. Na fase regular fomos a terceira equipa com mais golos marcados e a quinta com menos golos sofridos. O que fez com que fossemos a equipa com melhor diferença de golos! Na fase de manutenção, os objetivos principais eram assegurar o mais rapidamente a presença na Liga 3 e terminar em primeiro lugar. Esses objetivos foram conseguidos! O facto de termos terminado com o melhor ataque e melhor defesa é uma consequência daquilo que fomos realizando ao longo da época. Uma equipa ofensiva, que gosta de ter bola e de marcar golos!

Qual será o objetivo para a próxima época?

O objetivo para a próxima época é manter esta ideia de jogo, esta mentalidade vencedora e no fim da fase regular estarmos numa posição que nos permita disputar a fase de subida. 

Pessoalmente quais são objetivos no futuro?

Os meus objetivos passam por ajudar a Sanjoanense a atingir os seus objetivos. Estou muito feliz neste clube e a trabalhar com toda a estrutura que faz parte do dia a dia do clube. Sou ambicioso, gosto de vencer e de querer sempre mais. São esses os valores que quero continuar a transmitir ao clube!  

Para ter uma ADS pronta para lutar pelos lugares cimeiros, será importante ter uma envolvência ainda maior dos adeptos?

Os adeptos são fundamentais no sucesso de um clube. O nosso objetivo também é o de cativar e trazer os adeptos ao estádio a apoiarem a equipa. Só o conseguimos se existir uma empatia e um reconhecimento do nosso trabalho. É mais uma responsabilidade nossa! Nós sentimos esse apoio e queremos continuar a senti-lo para que, juntos, possamos alcançar os nossos objetivos. Mas não posso deixar de referir o apoio fantástico e o carinho que tem demonstrado por parte da Força Negra. Muito obrigado!

Uma mensagem aos adeptos

Acreditem neste projeto. Apoiem estes rapazes. Precisamos de todos! Juntos, voltaremos mais fortes!